Receba nossas novidades
IdiomaEnglishFrançaisDeutschItalianoPortuguêsEspañol#goog-gt-tt{display:none!important;}.goog-te-banner-frame{display:none!important;}.goog-te-menu-value:hover{text-decoration:none!important;}.goog-text-highlight{background-color:transparent!important;box-shadow:none!important;}body{top:0!important;}#google_translate_element2{display:none!important;}
function googleTranslateElementInit2() {new google.translate.TranslateElement({pageLanguage: 'pt',autoDisplay: false}, 'google_translate_element2');}if(!window.gt_translate_script){window.gt_translate_script=document.createElement('script');gt_translate_script.src='https://translate.google.com/translate_a/element.js?cb=googleTranslateElementInit2';document.body.appendChild(gt_translate_script);} function GTranslateGetCurrentLang() {var keyValue = document['cookie'].match('(^|;) ?googtrans=([^;]*)(;|$)');return keyValue ? keyValue[2].split('/')[2] : null;} function GTranslateFireEvent(element,event){try{if(document.createEventObject){var evt=document.createEventObject();element.fireEvent('on'+event,evt)}else{var evt=document.createEvent('HTMLEvents');evt.initEvent(event,true,true);element.dispatchEvent(evt)}}catch(e){}} function doGTranslate(lang_pair){if(lang_pair.value)lang_pair=lang_pair.value;if(lang_pair=='')return;var lang=lang_pair.split('|')[1];if(GTranslateGetCurrentLang() == null && lang == lang_pair.split('|')[0])return;if(typeof ga=='function'){ga('send', 'event', 'GTranslate', lang, location.hostname+location.pathname+location.search);}var teCombo;var sel=document.getElementsByTagName('select');for(var i=0;i<sel.length;i++)if(sel[i].className.indexOf('goog-te-combo')!=-1){teCombo=sel[i];break;}if(document.getElementById('google_translate_element2')==null||document.getElementById('google_translate_element2').innerHTML.length==0||teCombo.length==0||teCombo.innerHTML.length==0){setTimeout(function(){doGTranslate(lang_pair)},500)}else{teCombo.value=lang;GTranslateFireEvent(teCombo,'change');GTranslateFireEvent(teCombo,'change')}} /* CUSTOM STYLE */ #gtranslate_selector { padding: 6px 15px; font-size: 0.7em; font-weight: 700; text-transform: uppercase; border-radius: 20px !important; margin-left: 10px; height: fit-content !important; margin: 0; margin-left: 10px; background: #fff; color: #72716F; border: none; text-align: center; }
#expandir { border: none; box-shadow: none; } #campo-busca-wrapper { overflow: hidden; } #campo-busca { transform: translateX(calc(100% + 3em)); height: 0px; transition: 2s transform ease; } #campo-busca.abrir { transform: translateX(0); height: auto; } jQuery(function() { jQuery('#expandir').click(function() { jQuery('#campo-busca').toggleClass('abrir') }); });

FIV e rotina diária: como encaixar os dois?

RECEBA NOSSOS PRÓXIMOS
CONTEÚDOS EXCLUSIVOS:

    Compartilhe este post

    Questão que atinge em média 15% da população mundial, a infertilidade é uma condição que pode ser realizada por meio de tratamentos como a fertilização in vitro. Esta é uma das principais escolhas de casais que buscam um procedimento por meio da reprodução assistida como forma de desenvolver uma gestação.

    Contudo, uma dúvida comum entre esses casais é relacionada a rotina diária e como encaixar a fertilização in vitro nela. Para que você possa entender melhor essa questão, desenvolvemos o post a seguir com algumas informações relacionadas a esse assunto. Confira!

    Esteja preparado para a realização de exames

    Uma das principais formas de conseguir encaixar a fertilização in vitro na rotina do casal é estar preparado para os diversos exames necessários antes do início do procedimento. Na fertilização in vitro o médico indica testes específicos para determinar o motivo da infertilidade e determinar se esse é, de fato, o melhor tratamento a ser realizado. 

    A investigação por parte dos especialistas envolve ambos os parceiros e inclui uma série de protocolos como ultrassom, avaliação hormonal, de tubas, espermograma e índice de DNA espermático. Outros exames complementares que também estão presentes são de HIV, Hepatite B e C, sífilis, rubéola e Covid-19.

    Como é a rotina do tratamento?

    Por ser um processo completo, a fertilização in vitro não se resume apenas à fecundação em laboratório. A rotina do tratamento consiste em procedimentos que dependem da conclusão de outros para serem iniciados, motivo que torna fundamental respeitar o tempo de cada etapa para que seja garantida a segurança e eficácia do processo. A fertilização in vitro pode ser dividida em 5 etapas:

    • estimulação ovariana;
    • punção folicular e coleta de espermatozoides;
    • cultivo do embrião;
    • transferência embrionária para o útero;
    • período de espera;
    • teste de gravidez.

    No período de tratamento, a mulher tentante é submetida a exames como ultrassonografias e também ao uso de medicamentos responsáveis pela estimulação da produção de óvulos que a concepção da gravidez. Portanto, o tempo de duração entre as etapas pode variar de acordo com a resposta do organismo durante o tratamento. 

    Planeje bem antes de iniciar a FIV, especialmente se precisa viajar

    O tempo de duração da fertilização in vitro é de em média 15 a 30 dias. Esse período pode parecer curto para uns e longo para outros. No entanto, esse tempo deve ser planejado na rotina diária do casal antes mesmo do início do tratamento. Por isso, muitas programações podem ser re-avaliadas de acordo com a necessidade após o início do procedimento.

    Escolha o melhor momento do dia para a sua consulta

    Boa parte dos casais que planejam realizar a fertilização in vitro escolhem conciliar as consultas e exames em horários alternativos, como horários de almoço e finais de semana. Dessa forma, a rotina não sofre grandes alterações, seja na vida pessoal ou profissional. 

    Pela necessidade de estar na clínica para a realização de ultrassom e dosagens hormonais a cada 2 e 3 dias até que seja feita a punção de óvulos, o casal deve se programar para diversas visitas à clínica.

    Visto que a infertilidade é reconhecida como um problema de saúde pela Organização Mundial de Saúde (OMS), o profissional responsável pela fertilização poderá emitir atestados médicos que possam justificar a ausência ou necessidade de repouso da paciente durante o procedimento.

    É possível manter uma rotina normal durante o tratamento de fertilização in vitro

    De forma geral, a mulher que está realizando o tratamento de fertilização in vitro não deverá precisar de grandes mudanças para que sua rotina seja encaixada ao procedimento. Contudo, especialistas costumam recomendar alterações em alguns hábitos que podem prejudicar o tratamento, como a realização de atividades de impacto, como musculação e corrida.

    Além disso, no período da fertilização recomenda-se que a mulher evite cometer excessos, como o consumo de álcool, cigarro ou medicações que não sejam indicadas pelo médico especialista em reprodução humana. Até mesmo o excesso de trabalho, estresse e ansiedade podem ser prejudiciais durante o período, portanto, devem ser evitados.

    Em relação à alimentação, o recomendado é que a mulher possa ingerir alimentos saudáveis, sem grandes restrições. Contudo, em uma dieta que evite frituras, alimentos processados, açúcares e gorduras.

    A fertilização in vitro é um tratamento que possibilita que o sonho da maternidade e paternidade sejam realizados por meio dos grandes avanços da medicina. Contudo, saber como introduzir este procedimento da melhor maneira da rotina diária é a melhor forma de evitar ações que possam ser prejudiciais ao tratamento e também ao dia a dia do casal.

    Este conteúdo foi útil? Então, conheça também 5 informações importantes sobre tratamentos para engravidar!

    Baixe agora nosso e-book com o tema Trintou Congelou

    Para ler

    Em seguida