Fertilização

In vitro

RECEBA NOSSOS PRÓXIMOS
CONTEÚDOS EXCLUSIVOS:

    o que é fertilização

    In vitro?

    A Fertilização In Vitro (FIV) é a técnica de reprodução onde, após estimulação com gonadotrofinas, há a retirada dos óvulos maduros via transvaginal com sedação. Estes óvulos são fertilizados no laboratório de duas maneiras: na FIV clássica, são colocados cerca de 100 mil espermatozoides ao redor de cada óvulo.

    Fertilização In Vitro (FIV) Clássica:

    A fertilização In Vitro é a principal e mais amplamente conhecida técnica de reprodução assistida, sendo considerada a “mãe” de todas as outras que vieram depois. Ela já vem sendo realizada desde o final dos anos 70, mais precisamente 1978, quando foi feito o primeiro procedimento bem sucedido. A partir desse momento, a técnica vem evoluindo a largos passos, permitindo o expressivo aumento da taxa de sucesso em pessoas com menos de 35 anos – no início, o índice era de 5% por ciclo, hoje em dia, chega a 55%.

    No princípio, a fertilização in vitro foi pensada para mulheres com problemas nas trompas, órgãos nos quais ocorre a passagem de óvulos e espermatozoides, além de serem responsáveis por oferecer um ambiente adequado para a fertilização e desenvolvimento inicial da gravidez. Atualmente, a fertilização In vitro é a técnica mais indicada para a maioria das causas de infertilidade, sejam elas leves ou moderadas.

    Nas últimas décadas, a fertilização In Vitro tem se tornado cada vez mais sofisticada e, por isso, mais eficiente. Nos anos 80, a coleta dos óvulos era realizada por meio de uma laparoscopia (uma pequena cirurgia), de forma bem mais invasiva, mas hoje a aspiração é feita pela via vaginal, utilizando o ultrassom como guia. Além disso, foram desenvolvidos novos meios de cultura, equipamentos e protocolos com controle de qualidade rigorosos.

    Fertilização In Vitro com ICSI:

    Nesta técnica, o espermatozóide é injetado em cada óvulo no laboratório, com auxílio de duas tecnologias: um microscópio especial e um aparelho chamado micromanipulador. Esse tipo de abordagem de fertilização in vitro permitiu um tratamento bastante eficaz para casais nos quais o homem tem um número muito baixo de espermatozóides.

    Mesmo quando não é possível encontrar espermatozoides no ejaculado/espermograma, eles podem ser obtidos por meio de uma punção no epidídimo ou testículo. A fertilização in vitro com ICSI torna o processo mais eficiente e otimizado porque possibilita que um único espermatozóide coletado seja inserido diretamente dentro do óvulo, por meio de uma agulha sete vezes mais fina que um fio de cabelo.

    Baixe agora nosso e-book com o tema Trintou Congelou

    Para quem é indicado a FIV?

    Casal que não consegue engravidar naturalmente sem causa aparente

    Fator idade (mulheres com mais de 35 anos)

    Infertilidade causada por fatores masculinos ou sem causa aparente

    Obstrução tubária provocada por diferentes condições

    Casais homoafetivos

    Passo a passo da Fertilização in Vitro

    Estimulação ovariana

    Com injeções hormonais, os ovários são estimulados a produzir vários óvulos maduros.

    Punção folicular

    Ovários são aspirados para obtenção dos óvulos. Esse procedimento é feito através de uma agulha acoplada em uma sonda de ultrassom vagina.

    Fecundação de óvulos

    Os óvulos coletados são levados ao laboratório. Em uma placa de cultura, são colocados em contato com os espermatozóides, para a realização da função.

    Transferência embrionária

    Os melhores embriões são inseridos no útero por meio de um catéter de material inerte, utilizando o ultrassom como guia.

    Período para a confirmação da gravidez

    Cerca de 14 dias após a aspiração dos óvulos é feito o teste de gravidez.

    FAQ

    São 30 dias do início ao fim. Quatorze dias, aproximadamente, de estimulação ovariana, coleta dos óvulos. Depois, cerca de 14 dias aguardando o resultado.

    Tecnicamente, é possível a avaliação genética do embrião para a descoberta do sexo, mas isso só é permitido em casos de doenças genéticas ligadas ao sexo. Por lei, não é permitido ao casal escolher o sexo do bebê.

    Não. O tratamento não leva ao ganho de peso. Contudo, é comum a ocorrência de edema (retenção hídrica), podendo levar a um aumento de peso transitório ao longo do tratamento. Por outro lado, o excesso de peso pode interferir nas chances de gravidez.

    O número máximo de embriões a serem transferidos está definido pela Resolução do Conselho Federal de Medicina: até 35 anos (até 2 embriões) de 36 a 39 anos (até 3 embriões) e de 40 em diante até 4 embriões, no máximo. O casal pode optar pela transferência de embrião único caso esteja disposto a uma gestação múltipla.

    As gestações fruto de fertilização in vitro apresentam maior risco de complicações obstétricas, atribuídas principalmente às taxas de gestações gemelares. É aconselhável que o pré-natal seja realizado por profissionais cuidadosos e dedicados.

    Para oferecer conforto durante a punção ovariana, o procedimento é realizado sob sedação venosa. A medicação é administrada pelo anestesiologista através do soro e o paciente dorme durante todo o procedimento.

    A sedação é um procedimento anestésico considerado de baixo risco. No entanto, é necessária a realização de consulta pré-anestésica para avaliação do risco de forma individualizada.

    Todos os pacientes submetidos a sedação venosa são acompanhados pelo período de pelo menos 2 horas após o procedimento. Em seguida, são avaliados pelo anestesiologista e, caso preencham todos os critérios de alta, são liberados para casa, onde devem realizar repouso relativo.

    Dúvidas sobre a

    Fertilização in vitro?

    FOCO NA

    FERTILIDADE

    Nossos materiais educativos sobre Reprodução Assistida

    Português do BrasilEnglishEspañol