Como são os primeiros dias do embrião na FIV

A FIV ajuda casais a terem filhos há décadas no Brasil. 

Ainda que seja um tratamento conhecido e que tenha sido aperfeiçoado ao longo do tempo, o tratamento de fertilização in vitro ainda gera algumas dúvidas em muitas pessoas.

Para falar um pouco mais sobre o assunto, vamos tratar no post de hoje sobre a transferência de embriões. Vamos lá?

Primeira semana do embrião após a FIV

Dia 1

A partir da união entre óvulo e espermatozoide se inicia a formação genética do embrião. É formado um novo núcleo celular composto por 46 cromossomos. 

Durante o processo nasce o zigoto, que mede aproximadamente 0,15 milímetros.

Dia 2

Começa a divisão celular do zigoto. 

Inicialmente em duas células, depois cada célula se divide outra vez em duas chegando a 4 células.

Dia 3

Continuam as divisões celulares, chegando a 8 células.

Neste momento, a qualidade dos embriões já é avaliada avaliada. É provável que nem todos os embriões tenham se desenvolvido da mesma forma, e o médico e o casal são orientados sobre o desenvolvimento embrionário até está etapa.  

Dia 4

As divisões aumentam, assim, aumenta também o número de células que vão se compactando.  

Este processo de compactação celular é fundamental para que as células  comecem a gerar conexões que permitem a evolução para o seguinte passo do desenvolvimento embrionário.

Dias 5 e 6 

A partir da forma de mórula no dia 4, as células começam a conectar-se, permitindo a continuação da divisão celular a aproximadamente 100 células. Com o desenvolvimento correto, entre o dia 5 e 6, o embrião alcança o estado de blastocisto. 

Ocorre  também uma distribuição em dois grupos celulares. Um grupo de células se distribui pelo contorno periférico formando uma esfera denominada trofoectoderma e outro grupo forma uma massa compacta unida ao trofoectoderma denominada Massa Celular Interna, que será o futuro bebê.

Apesar de algumas transferências serem realizadas no terceiro dia do desenvolvimento embrionário, cada vez mais existe uma tendência em se realizar um cultivo extendido dos embriões até a fase de blstocisto para então fazer a transferência entre 5º e 6º dia de desenvolvimento. O Blastocisto é a forma mais desenvolvida de embrião, e é nesta fase que o embrião se implanta também nas gestações espontâneas. 

Dias 7 a 12

É o momento em que esta ocorrendo a implantação, ou seja, graças às enzimas segregadas pelo trofoectoderma, o endométrio fica mais receptivo e o embrião se adere às paredes do útero.

Inicia-se então a produção do hormônio hCG, que permite a manutenção dos níveis de progesterona. 

Quando os níveis de hCG começam a subir, é possível a detecção da gravidez. Desenvolvimento embrionário após as duas primeiras semanas

A partir deste momento, o saco amniótico começa sua formação.

O embrião, implantado no endométrio, cresce um pouco a cada dia. 

Através de ultrassonografias é possível acompanhar o desenvolvimento dos órgãos, do esqueleto e as extremidades do corpo, que vai adquirindo autonomia funcional de forma progressiva de um bebê.

Quer saber mais?

Gostou do nosso conteúdo? Confira nosso blog e saiba mais sobre tratamentos de fertilidade.

Equipe Médica Revisora do Texto

Dr. Ricardo Marinho, Dra. Hérica Mendonça, Dra. Leci Amorim, Dr. Fábio Peixoto, Dra. Luciana Calazans e Dr. Leonardo.