5 informações importantes sobre tratamentos para engravidar

Decidir ter um filho é uma decisão importante na vida de qualquer pessoa e também pode ser a realização de um sonho. Entretanto, após meses de tentativas de engravidar sem sucesso, muitos casais a reprodução assistida.

Esta também é uma solução para os casais homoafetivos que desejam ter filhos.

Neste momento, surgem várias questões sobre os tratamentos para engravidar, não é? Como quais são os tipos de tratamento, as possíveis causas de infertilidade, taxas de sucesso e os custos. Confira o nosso artigos e tire suas dúvidas

Principais tratamentos para engravidar

Fertilização in vitro

A Fertilização in Vitro (FIV) consiste em uma técnica de reprodução assistida onde a fecundação dos óvulos é realizada em laboratório. Os embriões, resultados do procedimento, são posteriormente transferidos para o útero materno. 

Inseminação artificial

Na inseminação artificial, também denominada inseminação intrauterina, é realizado um preparo do sêmen para que será inserido no útero da mulher, próximo ao dia da ovulação. 

É realizada a estimulação ovariana e quando a ovulação se aproxima, é realizada a coleta do sêmen do parceiro, onde os espermatozoides com melhor movimentação são selecionados.

Quando inseridos no útero (inseminados), eles devem seguir o curso natural para encontrarem o óvulo e a fecundação ocorre na tuba uterina. 

Relação sexual programada

Na técnica de relação sexual programada ou coito programado, a fecundação do óvulo é feita por vias naturais.

O que acontece é o acompanhamento da ovulação da mulher, para identificar o período fértil dela, ou seja, quando as chances de gravidez são muito maiores.

Pode ser feito somente o monitoramento da ovulação, mas, também é possível realizar a indução desta, procedimento que estimula os ovários através de medicação.

Quando o ultrassom indicar que a mulher está próxima de ovular, o casal é orientado a ter relações sexuais. 

Indução da ovulação

A indução da ovulação é indicada em casos onde a mulher não ovula adequadamente, o tratamento pode ser realizado por meio do acompanhamento de um ginecologista. 

O médico irá prescrever para a paciente remédios que estimulam a ovulação, para facilitar a fecundação. Os medicamentos podem ser administrados via oral ou aplicados, em sua  versão injetável.

Gravidez com gametas ou embriões doados

A gravidez com gametas ou embriões doados é indicada para casais que não podem gerar um embrião, como no caso de casais homoafetivos. Podem ser utilizados óvulos, sêmen ou embriões congelados. O doador deve ser anônimo. 

Qual o melhor tratamento para engravidar?

Agora que você conheceu um pouco sobre alguns dos diferentes tipos de tratamentos para engravidar, você deve estar se perguntando sobre qual escolher.

Entretanto, não há uma única resposta para essa questão. Por isso, o primeiro passo, para dar início a qualquer tratamento de reprodução assistida, é a consulta com um especialista.

Ele será capaz de sanar todas as suas dúvidas e solicitar os exames necessários para identificar se os pacientes possuem qualquer problema de fertilidade, a causa destes problemas e o melhor tratamento para cada caso.  

Por exemplo, o médico pode solicitar um espermograma do homem, para observar a qualidade e a quantidade dos espermatozóides.

Enquanto uma avaliação hormonal, ultrassonografia e histerossalpingografia são usadas para analisar os ovários, o útero e as trompas da mulher. 

Através de todo esse processo, o médico apresentará as opções para que o casal possa compreender qual é o método o mais indicado para o caso deles, e as chances de sucesso.

Causas de infertilidade

Um casal que  tem relações sexuais regulares, sem o uso de métodos contraceptivos, e não possui nenhum problema de fertilidade, têm aproximadamente 20% de chances de engravidar em um mês.

Portando, a demora de alguns meses para conquistar o resultado positivo é comum. 

É recomendável procurar um médico quando a gravidez não acontece após um ano de tentativas sem o uso de contraceptivos. Em mulheres com mais de 35 anos, entretanto, deve-se esperar apenas seis meses. 

São várias as causas que podem atrapalhar uma gravidez espontânea, tais como: 

Fator masculino (alterações na quantidade ou qualidade dos espermatozóides) 

Uma das causas da infertilidade pode ser quando o homem não produz ou produz espermatozóides em pouca quantidade, com um formato anormal e com mobilidade reduzida. 

Para tratar esse problema, podem ser idicados a inseminação artificial ou fertilização in vitro. 

Ovários policísticos

A síndrome dos ovários policísticos é um distúrbio hormonal que pode causar ciclos menstruais irregulares, podendo dificultar o processo de engravidar.

A indução da ovulação é um dos principais tratamentos para esses casos, sendo que em alguns casos também pode ser feita a fertilização in vitro para aumentar as chances da gravidez. 

Endometriose

A endometriose, que é uma doença caracterizada pelo crescimento do tecido do endométrio fora do útero, também pode tornar o processo de gravidez mais difícil. A endometriose leva a um processo inflamatório, o que acaba gerando mudanças anatômicas que impedem o pleno funcionamento das trompas.

Em alguns casos, pode ser necessário cirurgia, mas na maioria das vezes, quando existe infertilidade, pode ser indicada a fertilização in vitro. 

Obstrução das Trompas

Nos casos em que as trompas estão obstruídas, ou com sua mobilidade diminuída, o encontro do óvulo com os espermatozóides pode não acontecer, dificultando a gravidez. Nestes casos, a fertilização in vitro está indicada. 

Chances de conseguir engravidar através da reprodução assistida

As chances de engravidar por meio da fertilização in vitro, inseminação artificial e da relação sexual programada depende de vários fatores.

Por isso, os métodos recomendados variam de acordo com o histórico do casal, pois deve ser feita uma análise individual de cada caso. 

A idade da mulher pode influenciar nas chances de sucesso do procedimento, pois o número e a qualidade dos óvulos diminui na medida em que ela envelhece.

Na FIV, por exemplo, as chances de sucesso em mulheres com menos 35 anos é de até 60%,  em mulheres entre 35 e 38 anos os índices são de 40% e em mulheres de 40 a 42 anos, a taxa varia de 20 a 25%. 

Por isso, o número de embriões implantados no útero da mulher varia de acordo com a sua idade. Se a mulher tiver até 35 anos, podem ser implantados no máximo dois embriões. Já no caso de mulheres entre 35 e 40 anos, podem ser 3, depois dos 40, o limite sobe para 4. 

Na inseminação artificial, as taxas de sucesso também variam de acordo com a idade da mulher:  de 23 a 25% em mulheres com até 34 anos, 14 e 15% em mulheres de 35 a 39 anos e entre 1 e 3% em mulheres acima dos 40. Malformações uterinas também podem diminuir as chances de sucesso destes procedimentos. 

Custos dos tratamentos para engravidar

Outra dúvida muito comum entre os casais que procuram ajuda para engravidar é a respeito do valor do tratamento, o que, mais uma vez, varia de acordo com o tipo de tratamento que o médico recomendar. 

O custo da fertilização in vitro, por exemplo, reduziu bastante quando comparamos à época de sua criação. Outros tratamentos podem ter custo menor. Mas é importante é entender qual a melhor indicação para cada caso. 

Quer saber mais?

O que você achou do nosso artigo? Ficou com mais alguma questão sobre tratamentos para engravidar, deixe a sua pergunta nos comentários para que a gente possa te ajudar.

Agendar Consulta

Equipe Médica Revisora do Texto

Dr. Ricardo Marinho, Dra. Hérica Mendonça, Dra. Leci Amorim, Dr. Fábio Peixoto, Dra. Luciana Calazans e Dr. Leonardo.