Existe alguma relação entre a COVID-19 e fertilidade?

Quando a pandemia causada pelo Novo Coronavírus chegou ao Brasil, em março deste ano, muitas pessoas não acreditavam que ela duraria um período tão longo. Contudo, após tantos meses convivendo com o risco da Covid-19, a ciência iniciou a busca por conhecimentos relacionados não só a imunização contra a doença, mas também sobre sua relação com a fertilidade.

Essa infecção que evolui de forma rápida ainda gera grandes dúvidas em relação a diferentes assuntos, entre eles, como essa condição pode afetar a vida de pais e mães que planejaram uma gravidez para esse ano, seja ela natural, por meio de fertilização in vitro ou inseminação artificial.

Pensando em responder a algumas destas questões, desenvolvemos o conteúdo a seguir como forma de esclarecer a relação entre a Covid-19 e a fertilidade. Continue a leitura conosco para conferir!

A Covid-19 pode prejudicar a fertilidade feminina? O que se sabe até aqui?

O impacto que o Novo Coronavírus pode causar na fertilizada da mulher ainda não é completamente conhecido. Afinal, o surgimento do vírus causador da Covid-19 ainda é recente no mundo. 

O que se conhece até o momento é que o vírus não pôde ser identificado no sistema reprodutor da mulher, assim como na secreção, líquido amniótico ou peritoneal. Portanto, ainda não se pode afirmar que a doença pode ser prejudicial para a fertilidade feminina. 

E a fertilidade masculina? O que os estudos dizem?

Já diante da fertilidade masculina, a realidade é outra. Recentemente, um artigo realizado por pesquisadores chineses e publicado na revista médica The Lancet,sugeriu que o vírus pode afetar o processo em que espermatozoides são produzidos. 

Além disso, ao comparar o sêmen de pacientes com Covid-19 e homens que não tinham a doença, algumas diferenças foram detectadas, como menor número de espermatozoides e aumento de células que indicavam processo infeccioso local. Esse processo infeccioso pode afetar a produção dos espermatozoides e interferir na fertilidade do homem, além de causar anomalias no esperma. 

Entretanto, até o momento esses impactos permanecem incertos. Estudos como esse mostram a importância da realização de mais pesquisas com um número maior de pessoas para que sejam confirmados tais resultados. 

Caso esteja no meio de um tratamento de fertilidade, preciso me preocupar?

Para as pessoas que estejam no meio de um tratamento de fertilidade, é importante aconselhar-se com a equipe médica da clínica em relação aos riscos e benefícios de intervenções durante a pandemia. 

O adiamento do tratamento de fertilidade é um fator que aumenta a ansiedade, visto que em muitos casos as chances de obter sucesso no tratamento para engravidar com a prorrogação é cada vez menor. 

Contudo, isso não significa que deve-se ignorar as recomendações das autoridades de saúde. Ao contrário, é preciso ter cautela e responsabilidade para que o processo tenha continuidade de maneira segura e saudável.

Alternativa como a consulta por teleconferência é uma excelente forma de manter o contato com a equipe respeitando o distanciamento social. Assim, a exposição deverá acontecer somente quando for inadiável a presença na clínica, para o desenvolvimento dos procedimentos. 

Não é apenas sobre a fertilidade, entenda as consequências que a Covid-19 pode ter

Além da insegurança que a Covid-19 traz em relação a fertilidade, outras consequências também causam grande preocupação. Entre elas, a forma como a doença pode afetar a gestação.

Em boa parte das gestantes, a infecção causada pela Covid-19 apresentou sintomas leves, como tosse e febre, sem que houvesse necessidade de internação. A doença surge de forma mais grave quando a mãe apresenta fatores de risco, como idade avançada, obesidade, hipertensão e diabetes. 

Já durante a gravidez, a Covid-19 pode aumentar o risco para a mulher desenvolver pré-eclâmpsia. No entanto, o risco de mortalidade materna é muito baixo. Dessa forma, para as mulheres que desejam engravidar no período da pandemia, alguns cuidados devem ser considerados, como:

  • manter-se saudável, com boa alimentação e realizando atividades físicas;
  • manter o distanciamento social;
  • usar máscara sempre que precisar sair de casa;
  • lavar as mãos com água e sabão com frequência;
  • evitar o contato com pessoas fora do seu ciclo diário;
  • manter os exames e vacinas em dia;
  • conversar com o médico para eliminar dúvidas sobre o tratamento para fertilidade.

O planejamento para tratamento de fertilidade deve ser realizado em uma clínica conceituada, que respeite as medidas de prevenção contra a Covid-19 e mantenha a tentante segura e saudável. Por isso, caso ainda tenha dúvidas sobre iniciar seu tratamento durante a pandemia, consulte um especialista para obter todas as informações possíveis antes de concretizar este sonho.

Ficou interessada em conhecer uma clínica conceituada no assunto? Então, saiba porque a Pró-Criar é a melhor opção para realizar um tratamento de fertilidade!

Equipe Médica Revisora do Texto

Dr. Ricardo Marinho, Dra. Hérica Mendonça, Dra. Leci Amorim, Dr. Fábio Peixoto, Dra. Luciana Calazans e Dr. Leonardo.