7 informações importantes sobre gravidez e tratamentos de fertilidade em meio à pandemia da COVID-19

Durante o período de pandemia, os tratamentos de fertilidade se tornaram uma grande preocupação, assim como a gestação. Por ainda ser uma doença sem estudos concretos, os riscos que a Covid-19 apresenta para esse público trazem apreensão a todos.

De acordo com o artigo científico publicado no periódico JAMA (Journal of American Medical Association), a incerteza é ainda maior, ao apontar maiores chances de complicações durante a gestação em mulheres infectadas pela doença. 

No entanto, os mesmos autores reforçam a necessidade de mais evidências antes de confirmar essa informação, visto que a pesquisa foi conduzida em um curto período. A seguir, você vai conhecer 7 informações importantes sobre gravidez e tratamentos de fertilidade em meio à pandemia!

7 informações importantes sobre gravidez e tratamentos de fertilidade em meio à pandemia

Sendo a pandemia do Novo Coronavírus um acontecimento sem precedentes em nosso país, e também no mundo, muitas questões foram levantadas a respeito dos riscos que a doença pode causar durante a gravidez e tratamentos de fertilidade

Por esse motivo, separamos algumas informações importantes relacionadas a estes assuntos para que você possa esclarecer algumas dúvidas e entender quais condutas devem ser tomadas no momento.

1. Transmissão vertical ainda deve ser analisada 

Um dos assuntos que ganharam destaque está relacionado à possibilidade de transmissão vertical da covid-19 em gestantes. A transmissão vertical acontece quando o microorganismo causador da doença é passado de mãe para feto, seja durante a gestação, por via placentária, durante o parto, por contato com sangue e secreções, ou após o parto, pela amamentação.

Estudos demonstram que as pesquisas divergem em relação ao assunto, enquanto alguns apontam que a transmissão vertical é possível, outros mostram que o potencial da transmissão vertical intrauterino no primeiro e segundo trimestre de gestação são desconhecidos. Isso mostra a importância de estudos de alta qualidade, que já estão em andamento, para evidenciar de forma clara a possibilidade de transmissão vertical da covid-19.

2. Amamentação deve ser continuada

Outra questão que tem sido avaliada, em continuidade com a transmissão vertical, é a possibilidade de transmissão da doença por meio da amamentação. No entanto, até o momento, estudos apontam que os benefícios da amamentação são maiores do que o risco de contaminação pelo vírus.

Da mesma maneira, mais estudos devem ser realizados. Durante este período, as mulheres devem continuar amamentando os bebês, usando proteções adequadas, e garantindo que o leite forneça a nutrição essencial para seu crescimento e desenvolvimento.

3. A covid-19 aumenta o risco para parto prematuro

Uma revisão publicada no periódico BMJ constatou que as gestantes com Covid-19 podem estar mais sujeitas ao trabalho de parto antes da hora, assim como outras infecções associadas a esse quadro.

Contudo, as taxas de nascimento por parto prematuro espontâneo não são altas no momento, permanecendo semelhante aos valores registrados no período anterior à pandemia.

4. Tentantes e gestantes devem seguir as medidas preventivas

Para garantir a segurança durante os tratamentos de fertilidade e o período gestacional, grávidas e tentantes devem, assim como toda a população, seguir medidas preventivas para evitar a contaminação pela Covid-19.

Segundo as orientações da Organização Mundial de Saúde (OMS), para que seja possível continuar os tratamentos de fertilidade garantindo a segurança e bem-estar dos envolvidos, é preciso respeitar medidas como:

  • lavar as mãos com água e sabão com frequência e, quando não for possível, higienizá-las com álcool em gel;
  • procurar atendimento caso tenha febre ou dificuldade para respirar;
  • evitar sair de casa, e sempre que for preciso sair, utilizar máscara.
  • cobrir boca e nariz com um lenço ao tossir ou espirrar;
  • não tocar nos olhos, boca e nariz;
  • manter o distanciamento social.

5. Gestantes com comorbidades devem receber a vacina

Segundo informações do Ministério da Saúde, a vacinação para grávidas e puérperas no país será restrita somente às mulheres com comorbidades, ou seja, doenças preexistentes. Além disso, as gestantes devem receber somente as vacinas CoronaVac e Pfizer.

Enquanto investiga se a morte de uma gestante devido a um AVC (acidente vascular cerebral) está relacionada ao uso da vacina AstraZeneca, o Ministério suspendeu a vacinação em grávidas e puérperas por essa vacina.

6. O acompanhamento dos tratamentos de fertilidade não devem ser interrompidos

Uma das dúvidas iniciais da pandemia foi em relação aos casais que estavam realizando tratamentos de fertilidade. Por certo período, os órgãos suspenderam os procedimentos, em vista da contaminação que ainda não era totalmente conhecida.

Atualmente, os tratamentos de fertilidade foram retomados, de modo a evitar prejuízos que o próprio tempo pode causar. No entanto, é necessário garantir os cuidados apontados acima, evitando a propagação do vírus. 

Respeitando as recomendações das autoridades de saúde, é possível seguir o tratamento com cautela, segurança e responsabilidade durante as consultas presenciais e principalmente por consultas em teleconferência

7. É fundamental manter contato com a clínica de fertilidade

Durante os tratamentos de fertilidade, é fundamental que os pacientes mantenham contato com a equipe médica, aconselhando-se em relação aos procedimentos, riscos e também em relação à pandemia.

As clínicas continuam à disposição dos pacientes mesmo no período de pandemia, com profissionais qualificados respeitando as medidas preventivas e acompanhando os pacientes que estão realizando tratamentos de fertilidade. 

Para que a comunicação não seja interrompida, os pacientes podem ter aconselhamento mesmo à distância, com consultas por teleconferência. Essa modalidade permite que os pacientes garantam o distanciamento social e mantenham o contato com a equipe, submetendo-se à exposição somente quando a presença na clínica for inadiável, para procedimentos.

Em meio a tantas mudanças em relação a este assunto, é fundamental buscar informações diárias a respeito da gravidez e tratamentos de fertilidade em meio à pandemia. Por isso, acompanhe nosso blog e continue se informando sobre notícias relacionadas à reprodução assistida!

Equipe Médica Revisora do Texto

Dr. Ricardo Marinho, Dra. Hérica Mendonça, Dra. Leci Amorim, Dr. Fábio Peixoto, Dra. Luciana Calazans e Dr. Leonardo.