Receba nossas novidades
IdiomaEnglishFrançaisDeutschItalianoPortuguêsEspañol#goog-gt-tt{display:none!important;}.goog-te-banner-frame{display:none!important;}.goog-te-menu-value:hover{text-decoration:none!important;}.goog-text-highlight{background-color:transparent!important;box-shadow:none!important;}body{top:0!important;}#google_translate_element2{display:none!important;}
function googleTranslateElementInit2() {new google.translate.TranslateElement({pageLanguage: 'pt',autoDisplay: false}, 'google_translate_element2');}if(!window.gt_translate_script){window.gt_translate_script=document.createElement('script');gt_translate_script.src='https://translate.google.com/translate_a/element.js?cb=googleTranslateElementInit2';document.body.appendChild(gt_translate_script);} function GTranslateGetCurrentLang() {var keyValue = document['cookie'].match('(^|;) ?googtrans=([^;]*)(;|$)');return keyValue ? keyValue[2].split('/')[2] : null;} function GTranslateFireEvent(element,event){try{if(document.createEventObject){var evt=document.createEventObject();element.fireEvent('on'+event,evt)}else{var evt=document.createEvent('HTMLEvents');evt.initEvent(event,true,true);element.dispatchEvent(evt)}}catch(e){}} function doGTranslate(lang_pair){if(lang_pair.value)lang_pair=lang_pair.value;if(lang_pair=='')return;var lang=lang_pair.split('|')[1];if(GTranslateGetCurrentLang() == null && lang == lang_pair.split('|')[0])return;if(typeof ga=='function'){ga('send', 'event', 'GTranslate', lang, location.hostname+location.pathname+location.search);}var teCombo;var sel=document.getElementsByTagName('select');for(var i=0;i<sel.length;i++)if(sel[i].className.indexOf('goog-te-combo')!=-1){teCombo=sel[i];break;}if(document.getElementById('google_translate_element2')==null||document.getElementById('google_translate_element2').innerHTML.length==0||teCombo.length==0||teCombo.innerHTML.length==0){setTimeout(function(){doGTranslate(lang_pair)},500)}else{teCombo.value=lang;GTranslateFireEvent(teCombo,'change');GTranslateFireEvent(teCombo,'change')}} /* CUSTOM STYLE */ #gtranslate_selector { padding: 6px 15px; font-size: 0.7em; font-weight: 700; text-transform: uppercase; border-radius: 20px !important; margin-left: 10px; height: fit-content !important; margin: 0; margin-left: 10px; background: #fff; color: #72716F; border: none; text-align: center; }
#expandir { border: none; box-shadow: none; } #campo-busca-wrapper { overflow: hidden; } #campo-busca { transform: translateX(calc(100% + 3em)); height: 0px; transition: 2s transform ease; } #campo-busca.abrir { transform: translateX(0); height: auto; } jQuery(function() { jQuery('#expandir').click(function() { jQuery('#campo-busca').toggleClass('abrir') }); });

Sintomas após transferência dos embriões: como é o D0, D1, D2, D3 e D4.

RECEBA NOSSOS PRÓXIMOS
CONTEÚDOS EXCLUSIVOS:

    Compartilhe este post

    A fecundação é o processo realizado para gerar uma nova vida. Para que ele aconteça, um longo caminho deve ser percorrido, principalmente na fertilização in vitro (FIV). Afinal, a transferência dos embriões só é realizada após a fecundação. No entanto, é a partir dessa implantação que os embriões vão se aderir no útero, iniciando o processo gestacional.

     

    Para saber mais sobre este assunto e conhecer os sintomas após a transferência de embriões, continue a leitura conosco, mas antes, se preferir, baixe nosso Guia Completo sobre Fertilização In Vitro clicando na imagem abaixo:

     

    Guia completo sobre FIV

     

    Como é a transferência dos embriões?

    A transferência dos embriões, como o próprio nome sugere, é o processo por meio do qual o embrião é transferido para o útero que irá gerá-lo. Essa é a etapa final da técnica de fertilização in vitro (FIV), e ocorre depois que os gametas são fecundados em laboratório. Justamente por isso, é o momento de maior expectativa para os casais. 9 a 12 dias após a realização do procedimento, é realizado o exame de sangue (Beta-HCG) para confirmar se a gravidez obteve sucesso ou não.

     

    Depois que os gametas (óvulos e espermatozoides) são colhidos e fecundados em laboratório, os embriões gerados são analisados e, os de melhor qualidade, transferidos para o útero da futura gestante. O procedimento ocorre por meio de cateteres, que auxiliam a implantação dos embriões na cavidade uterina. A transferência, na maioria das vezes, é simples e indolor, sem uso de anestesia. 

     

    O que quer dizer a nomenclatura D0, D1, D2, D3 e D4?

    A nomenclatura D0, D1, D2, D3 e D4 é utilizada para indicar os dias relacionados a algum procedimento. Aqui, utilizaremos a nomenclatura para indicar os dias em que os sintomas após a transferência dos embriões ocorrem.

     

    Quais são os sintomas que podem ser sentidos no D0 e D1?

    No dia após a transferência dos embriões, os sintomas são muito sutis. Pela ansiedade e insegurança em relação ao procedimento, é comum que a mulher sinta inquietação. Algumas mulheres podem apresentar leve cólica, no entanto, acontece raramente.

     

    D2 e D3: o que você pode sentir

    No segundo e terceiro dia após a transferência dos embriões, a tentante pode apresentar cólicas, contudo, de forma moderada. Algumas mulheres apresentam cansaço e sonolência também moderados nestes dias. 

     

    Transferência dos embriões D4: o que é possível saber do quarto dia em diante

    A partir do quarto dia, a tentante começa a perceber maiores sintomas após a transferência dos embriões. A sensação de cólica pode se intensificar, estando acompanhada de inchaço e sensibilidade nos seios. Além disso, entre o 7º e 9º dia após a implantação, pode ocorrer um escape menstrual. Este é um grande indicativo de que a transferência dos embriões foi bem-sucedida.

     

    É preciso fazer repouso após a transferência dos embriões?

    Um assunto que gera dúvidas nas tentantes é se há necessidade de repouso após a transferência dos embriões. Não existe nenhum estudo que demonstre que repouso absoluto aumenta as chances de gravidez após o procedimento. 

     

    Desse modo, orienta-se que a paciente mantenha suas atividades diárias enquanto aguarda o resultado do teste de gravidez. No entanto, é importante evitar a prática de esporte ou atividade física, assim como esforços exagerados. Também é recomendado que a mulher não tenha relações sexuais neste período. 

     

    O que evitar após a transferência dos embriões?

    Após a transferência dos embriões, é importante que a mulher evite algumas ações que possam comprometer o bom andamento do tratamento, como atividades físicas e esforço em excesso. Além disso, é preciso evitar:

     

    • uso de bebida Alcoólica;
    • cigarro;
    • medicamentos sem prescrição médica;
    • drenagem linfática.

     

    Quando é possível saber o resultado da transferência?

    A espera do resultado é o momento de maior ansiedade de todo o tratamento. Após longas semanas de exames, consultas médicas e uso de medicamentos, a transferência é a etapa que antecede a final, ou seja: o teste de gravidez. O exame de sangue Beta-HCG, utilizado para comprovar a gestação, é realizado entre o 12° e o 14° dias após a transferência dos embriões. Por isso, é fundamental manter a calma durante este período e cuidar da saúde até o momento de realizar o exame.

     

    Como é o desenvolvimento do embrião?

    O embrião começa seu desenvolvimento assim que o óvulo é fecundado pelo espermatozoide (em laboratório). O processo até se tornar um zigoto, quando passa por uma série de subdivisões, é de, em média, três a quatro dias. Quando é implantado no útero e recebido pelo endométrio (tecido que reveste o órgão), ele continua a se desenvolver, produzindo células. Assim, a placenta começa a se formar. Na terceira semana após a fecundação, os órgãos já começam a se formar e o coração bater.

     

    Por volta da quinta semana, o embrião começa a desenvolver braços e pernas, e, na nona, ocorre o processo de formação dos ossos. Nessa fase, ele já passa a ser chamado de feto. O nascimento ocorre por volta da 40° semana.  Agora você já sabe como são os sintomas após a transferência dos embriões, os dias necessários para saber o resultado do procedimento, e como o embrião continua a se desenvolver dentro do corpo da mulher.

     

    Quer continuar acompanhando mais informações sobre este assunto? Então, acompanhe nosso blog ou agende uma consulta!

     

    Grupo Huntington atua há quase três décadas transformando sonhos em vida e buscando oferecer tecnologias eficazes na reprodução assistida, sempre com o olhar humanizado.

     

    Temos unidades em Belo HorizonteSão PauloCampinas e Brasília. A gente sonha e acredita junto com você.

    Baixe agora nosso e-book com o tema Trintou Congelou

    Para ler

    Em seguida