Sintomas após transferência dos embriões: como é o D0, D1, D2, D3 e D4.

RECEBA NOSSOS PRÓXIMOS
CONTEÚDOS EXCLUSIVOS:

    Compartilhe este post

    Share on facebook
    Share on twitter
    Share on linkedin
    Share on whatsapp

    A fecundação é o processo realizado para gerar uma nova vida. Para que ele aconteça, um longo caminho deve ser percorrido, principalmente na fertilização in vitro (FIV). Afinal, a transferência dos embriões só é realizada após a fecundação. 

    No entanto, é a partir dessa implantação que os embriões vão se aderir no útero, iniciando o processo gestacional. Para saber mais sobre este assunto e conhecer os sintomas após a transferência de embriões, continue a leitura conosco!

    Como é a transferência dos embriões?

    A transferência dos embriões, como o próprio nome sugere, é o processo por meio do qual o embrião é transferido para o útero que irá gerá-lo. Essa é a etapa final da técnica de fertilização in vitro (FIV), e ocorre depois que os gametas são fecundados em laboratório.

    Justamente por isso, é o momento de maior expectativa para os casais. 9 a 12 dias após a realização do procedimento, é realizado o exame de sangue (Beta-HCG) para confirmar se a gravidez obteve sucesso ou não.

    Depois que os gametas (óvulos e espermatozoides) são colhidos e fecundados em laboratório, os embriões gerados são analisados e, os de melhor qualidade, transferidos para o útero da futura gestante.

    O procedimento ocorre por meio de cateteres, que auxiliam a implantação dos embriões na cavidade uterina. A transferência, na maioria das vezes, é simples e indolor, sem uso de anestesia. 

    O que quer dizer a nomenclatura D0, D1, D2, D3 e D4?

    A nomenclatura D0, D1, D2, D3 e D4 é utilizada para indicar os dias relacionados a algum procedimento. Aqui, utilizaremos a nomenclatura para indicar os dias em que os sintomas após a transferência dos embriões ocorrem.

    Quais são os sintomas que podem ser sentidos no D0 e D1?

    No dia após a transferência dos embriões, os sintomas são muito sutis. Pela ansiedade e insegurança em relação ao procedimento, é comum que a mulher sinta inquietação. Algumas mulheres podem apresentar leve cólica, no entanto, acontece raramente.

    D2 e D3: o que você pode sentir

    No segundo e terceiro dia após a transferência dos embriões, a tentante pode apresentar cólicas, contudo, de forma moderada. Algumas mulheres apresentam cansaço e sonolência também moderados nestes dias. 

    Transferência dos embriões D4: o que é possível saber do quarto dia em diante

    A partir do quarto dia, a tentante começa a perceber maiores sintomas após a transferência dos embriões. A sensação de cólica pode se intensificar, estando acompanhada de inchaço e sensibilidade nos seios. Além disso, entre o 7º e 9º dia após a implantação, pode ocorrer um escape menstrual. Este é um grande indicativo de que a transferência dos embriões foi bem-sucedida.

    É preciso fazer repouso após a transferência dos embriões?

    Um assunto que gera dúvidas nas tentantes é se há necessidade de repouso após a transferência dos embriões. Não existe nenhum estudo que demonstre que repouso absoluto aumenta as chances de gravidez após o procedimento. 

    Desse modo, orienta-se que a paciente mantenha suas atividades diárias enquanto aguarda o resultado do teste de gravidez. No entanto, é importante evitar a prática de esporte ou atividade física, assim como esforços exagerados. Também é recomendado que a mulher não tenha relações sexuais neste período. 

    O que evitar após a transferência dos embriões?

    Após a transferência dos embriões, é importante que a mulher evite algumas ações que possam comprometer o bom andamento do tratamento, como atividades físicas e esforço em excesso. Além disso, é preciso evitar:

    • uso de bebida Alcoólica;
    • cigarro;
    • medicamentos sem prescrição médica;
    • drenagem linfática.

    Quando é possível saber o resultado da transferência?

    A espera do resultado é o momento de maior ansiedade de todo o tratamento. Após longas semanas de exames, consultas médicas e uso de medicamentos, a transferência é a etapa que antecede a final, ou seja: o teste de gravidez.

    O exame de sangue Beta-HCG, utilizado para comprovar a gestação, é realizado entre o 12° e o 14° dias após a transferência dos embriões. Por isso, é fundamental manter a calma durante este período e cuidar da saúde até o momento de realizar o exame.

    Como é o desenvolvimento do embrião?

    O embrião começa seu desenvolvimento assim que o óvulo é fecundado pelo espermatozoide (em laboratório). O processo até se tornar um zigoto, quando passa por uma série de subdivisões, é de, em média, três a quatro dias.

    Quando é implantado no útero e recebido pelo endométrio (tecido que reveste o órgão), ele continua a se desenvolver, produzindo células. Assim, a placenta começa a se formar. Na terceira semana após a fecundação, os órgãos já começam a se formar e o coração bater.

    Por volta da quinta semana, o embrião começa a desenvolver braços e pernas, e, na nona, ocorre o processo de formação dos ossos. Nessa fase, ele já passa a ser chamado de feto. O nascimento ocorre por volta da 40° semana. 

    Agora você já sabe como são os sintomas após a transferência dos embriões, os dias necessários para saber o resultado do procedimento, e como o embrião continua a se desenvolver dentro do corpo da mulher.

    Quer continuar acompanhando mais informações sobre este assunto? Então, acompanhe nosso blog!

    Baixe agora nosso e-book com o tema Trintou Congelou

    Para ler

    Em seguida

    Português do BrasilEnglishEspañol