Transferência de embriões: transferir mais de um embrião influencia nas chances de sucesso da FIV?

RECEBA NOSSOS PRÓXIMOS
CONTEÚDOS EXCLUSIVOS:

    Compartilhe este post

    Share on facebook
    Share on twitter
    Share on linkedin
    Share on whatsapp

    Uma técnica utilizada durante o processo de Fertilização in Vitro para aumentar as chances de engravidar é a implantação de um, dois ou mais embriões no útero materno.

    Se por um lado aumentamos a chance de gravidez, por outro existe o risco de mais de  um embrião transferido se fixar ao endométrio gerando uma gravidez múltipla.

    A gravidez múltipla (2 bebês ou mais) apresenta muitos riscos associados, como o nascimento prematuro, restrição de crescimento fetal, diabetes gestacional, pré-eclâmpsia, paralisia cerebral, complicações na visão e síndromes respiratórias.

    Portanto a adoção desse procedimento deve ser cuidadosamente pensada e discutida com o médico especialista. 

    Continue a leitura do texto e compreenda como acontece o processo de transferência embrionária, sua importância para o tratamento e qual a relação entre o número de embriões transferidos e as chances de engravidar.

    O que é a transferência de embriões?

    A transferência embrionária, como o próprio nome sugere, é o processo por meio do qual o embrião é transferido para o útero que irá gerá-lo. Essa é a etapa final da técnica de fertilização in vitro (FIV), e ocorre depois que os gametas são fecundados em laboratório.

    Justamente por isso, é o momento de maior expectativa para os casais. nove a doze dias após a realização do procedimento, é realizado o exame de sangue (Beta-HCG) para confirmar se a gravidez obteve sucesso ou não.

    Como funciona o procedimento?

    Depois que os gametas (óvulos e espermatozoides) são colhidos e fecundados em laboratório, os embriões gerados são analisados e, os de melhor qualidade, transferidos para o útero da futura gestante.

    O procedimento ocorre por meio de cateteres, que auxiliam a implantação dos embriões na cavidade uterina. A transferência, na maioria das vezes, é simples e indolor, sem uso de anestesia. O desconforto sentido é similar ao exame Papanicolau.

    Qual a relação entre a transferência de embriões e a FIV?

    Como a última etapa da FIV a transferência embrionária é um procedimento final dentro do tratamento de fertilização in vitro. 

    Afinal, a escolha dos embriões e a sua correta implantação no útero materno podem definir o sucesso ou insucesso de todo o procedimento.

    E a qualidade dos embriões? O que isso quer dizer?

    A classificação embrionária começa antes do seu primeiro dia de vida. Quando o embrião está na fase zigoto, os médicos avaliam a simetria das dimensões pró-núcleos, onde ficam os cromossomos dos pais. 

    Outro ponto considerado é a espessura da zona pelúcida, uma camada gelatinosa situada na parte externa e rica em proteínas.

    Depois que o embrião completa um dia de vida já pode ser avaliada também a qualidade e simetria das suas células.

    De modo geral, o termo “qualidade do embrião” se refere às características do embrião que está em desenvolvimento. Levando em consideração que a FIV busca aumentar as chances da gravidez, transferir um embrião com boa classificação representa aumento das chances de gravidez.

    O que influencia na hora de decidir o número de embriões transferidos?

    Como dissemos anteriormente, a decisão sobre o número de embriões transferidos passa por um critério técnico e avaliação da paciente.

    Isso ocorre, principalmente, pois a transferência de dois embriões ou mais representa uma chance de gestação de gêmeos, que é bem vinda por muitos casais, mas também representa riscos que devem ser avaliados.

    Apesar de casais que desejam muito uma gestação aceitarem o risco, as possíveis complicações de uma gravidez múltipla devem ser consideradas de forma mais realista pelo médico especialista em reprodução humana.

    Dessa forma, a decisão pela transferência de um único embrião ou mais deverá ser realizada considerando as particularidades do caso.

    Então a transferência de embriões aumenta as chances de sucesso, mas optar pela técnica depende do caso?

    Como vimos até aqui, além de realizar o procedimento com as melhores práticas para aumentar as chances de sucesso, o médico especialista em reprodução assistida também deve orientar o procedimento da forma mais segura para a paciente.

    Imagino que você está pesquisando sobre reprodução assistida e justamente por isso é importante que você saiba que seu caso será bem avaliado. Caso seja possível, após a sua avaliação médica será decidido o número de embriões transferidos.

    A transferências de embriões é um dos fatores que influencia no tratamento

    Como vimos até aqui existem diversos fatores que influenciam no sucesso da FIV e a quantidade de embriões implantados é apenas um deles.

    Cada caso deve ser estudado individualmente, levando em conta os pormenores de cada mulher e de cada casal.

    De qualquer forma, não se perde a chance, porque o embrião ou embriões excedentes ficam congelados e podem ser utilizados em uma nova tentativa

    Se você está em dúvidas quanto ao número de embriões a serem implantados durante a FIV o ideal é conversar com um médico especialista no assunto e realizar os exames e testes indicados para saber como proceder e aumentar as suas chances de gravidez.

    Quer saber mais?

    A Huntington Pró-Criar é especializada em medicina reprodutiva e conta com uma equipe multidisciplinar preparada para te atender. Agende uma consulta conosco!

    Baixe agora nosso e-book com o tema Trintou Congelou

    Para ler

    Em seguida

    Português do BrasilEnglishEspañol