Qual a relação entre endometriose e reprodução assistida?

De acordo com a Associação Brasileira de Endometriose (SBE), a doença é encontrada entre 10% a 15% das mulheres que estão em idade reprodutiva. Em grande parte dos casos, sua descoberta acontece durante a investigação relacionada à infertilidade conjugal.

Entre as mulheres com infertilidade e mais de 30 anos, de 30% a 50% delas apresentam endometriose, tornando esta condição um dos motivos que levam os casais a procurarem tratamentos de reprodução assistida. A seguir, você vai conferir mais informações sobre a endometriose e os tratamentos para infertilidade! 

O que é endometriose?

A endometriose é uma doença inflamatória benigna que tem como característica o desenvolvimento do tecido do endométrio (responsável por revestir o útero), fora do útero. Por sua alta prevalência na população em idade reprodutiva e, a endometriose é um tema muito relevante.

A doença pode causar o desgaste físico e mental nas mulheres acometidas, principalmente pelas frequentes falhas em seu diagnóstico e o atraso para os primeiros sintomas, que podem chegar a até 8 anos, dificultando a qualidade de vida da pessoa acometida e causando riscos de infertilidade pela falta de tratamento. 

Quais os tipos de endometriose?

A endometriose é dividida em 2 tipos: superficial e profunda. A categoria superficial é responsável por invadir o peritônio, uma fina camada de pele que recobre os órgãos da barriga. Essa é a forma mais comum da doença, representando até 90% dos casos. 

Quando não tratada, a endometriose superficial pode se tornar profunda.

Já a endometriose profunda é definida como implantes do tecido do endométrio invadindo o peritônio em mais de 5mm de profundidade, ou então, quando acometem diferentes órgãos, como intestino, bexiga e vagina. Neste caso, os sintomas dolorosos estão mais presentes, assim como as chances de infertilidade na mulher.

Sintomas e causas: como posso saber se tenho endometriose?

Muitas vezes o diagnóstico da endometriose representa um grande desafio, visto que os sintomas da doença podem demorar a aparecer. Por motivos como esse, complicações como a infertilidade podem estar presentes em mulheres com endometriose. Entre os sintomas que costumam aparecer, mesmo que tardiamente, estão:

  • dores durante relação sexual;
  • cólica em período menstrual;
  • dor para urinar durante o período menstrual;
  • diarreia, constipação e dor ao evacuar;
  • fadiga;
  • distensão abdominal;
  • infertilidade.

Endometriose e infertilidade: Toda mulher portadora de endometriose é infértil? Quais os tratamentos?

Nem toda mulher portadora de endometriose é infértil. Como tratamento para a endometriose, medicamentos podem ser incluídos, assim como a alternativa para cirurgia e a combinação das duas condutas.

O tratamento ideal deverá depender da presença e do tipo de sintomas apresentados, assim como o desejo de engravidar ou não. Independente do tratamento escolhido pelo médico, os principais objetivos são aliviar as dores, desenvolver uma gestação e prevenir o retorno da doença.

Quais os tratamentos disponíveis para mulheres inférteis com endometriose? Como a reprodução assistida se encaixa nisso?

Os tratamentos disponíveis para a endometriose podem variar. No entanto, a abordagem deve ser individualizada ao considerar a idade da mulher, tratamento prévios para infertilidade e a existência de outros cofatores, como a infertilidade masculina. Os tratamentos disponíveis para mulheres inférteis com endometriose são:

  • cirurgia para remoção das lesões;
  • indução da ovulação e orientação para coito;
  • indução da ovulação e inseminação intrauterina;
  • fertilização in vitro.

Nos casos de endometriose mínima em que a queixa é a infertilidade, a inseminação intrauterina é sempre uma das alternativas mais indicadas. Já em situações em que a endometriose se mostra moderada ou grave, o tratamento de reprodução assistida mais utilizado é a fertilização in vitro.

A inseminação intrauterina é um procedimento simples, que apresenta taxas de sucesso de até 25%, enquanto a fertilização in vitro tem taxas que podem chegar a 70% de sucesso. Caso a inseminação intrauterina não apresenta eficácia diante da endometriose, a fertilização in vitro deve ser realizada. 

No post de hoje você conheceu melhor a relação entre a endometriose e a reprodução assistida. Caso identifique algum dos sintomas acima, procure atendimento especializado, com profissionais qualificados que possam realizar o diagnóstico correto, proporcionando tratamento precoce.

Quer saber mais sobre a reprodução assistida? Agende uma consulta na Clínica Pró-Criar e tire todas as suas dúvidas. Você pode ser atendida por teleconferência, sem precisar sair de casa!

Equipe Médica Revisora do Texto

Dr. Ricardo Marinho, Dra. Hérica Mendonça, Dra. Leci Amorim, Dr. Fábio Peixoto, Dra. Luciana Calazans e Dr. Leonardo.