Fertilização in vitro: conheça os principais tipos de tratamento oferecidos pela Pró-Criar

A Fertilização in vitro (FIV) é a técnica de reprodução assistida em que a formação do embrião acontece no laboratório. O procedimento que revolucionou a medicina foi realizado pela primeira vez há 40 anos, na Inglaterra, para ajudar casais com problemas de fertilidade. Hoje, o bebê de proveta, como ficou mundialmente conhecido, ajuda pessoas de diferentes arranjos familiares a realizarem o sonho da maternidade e da paternidade.

A FIV já é considerada uma das técnicas mais eficazes e seguras, podendo alcançar 50% de sucesso com tratamentos de alta qualidade. Outra vantagem é que o progressivo e contínuo desenvolvimento de seus procedimentos atendem tanto problemas sérios de fertilidade feminina e masculina quanto demandas contemporâneas, como as de casais homoafetivos e de mulheres que desejam engravidar por produção independente.

Além da Fertilização in vitro (FIV) clássica, a Pró-Criar oferece diversos tipos de tratamento dessa técnica, como a Fertilização in vitro com injeção de espermatozoides (ICSI), a FIV/ICSI com Congelamento/Criopreservação, a FIV/ICSI com Doação de Óvulos, FIV/ICSI com Casais Homoafetivos e a FIV/ICSI com Útero de Substituição. Conheça cada uma delas e qual se adequa melhor a cada perfil.

Qual tipo de Fertilização in vitro é mais indicado para você?

Na Fertilização in vitro (FIV), a mulher utiliza medicamentos que estimulam a ovulação durante alguns dias e, logo após, através de um procedimento cirúrgico simples, seus óvulos são coletados e selecionados. Paralelamente, a coleta dos espermatozóides é realizada pelo homem por meio de masturbação. No laboratório, em condições seguras e adequadas, os gametas são colocados juntos, em provetas (recipientes de vidro), para que os espermatozóides fecundem os óvulos de maneira natural e formem os embriões. Assim que o embrião começa a se desenvolver, é transferido para o útero que irá gerá-lo. 

Similar à primeira, na Fertilização in vitro com injeção de espermatozóides (ICSI) o espermatozóide é injetado diretamente dentro do óvulo, aumentando as chances de gravidez. Nessa técnica, a coleta do sêmen também pode ser realizada por meio de biopsia testicular (cirurgia que retira os espermatozóides diretamente dos testículos), possibilitando a fecundação para homens com oligospermia, vasectomizados, que apresentam quadros de infertilidade grave ou que produzam pequena quantidade de espermatozóides.

A FIV/ICSI com Congelamento/Criopreservação utiliza óvulos, espermas ou embriões que foram ou serão congelados para uso futuro, preservando as suas características. A técnica é ideal para mulheres que desejam garantir a qualidade de seus embriões para uma gravidez tardia, pacientes que irão se submeter a tratamentos oncológicos ou cirúrgicos com riscos de perda de fertilidade. Como na técnica anterior, a mulher passa por estimulação ovariana, e seus óvulos são fecundados diretamente por espermatozóides selecionados. 

Doação de óvulos.

Para as mulheres cujos óvulos não possam ser fecundados ou que não os produzam, como aquelas que passaram pela menopausa, tratamentos oncológicos ou a retirada dos ovários, há a opção da FIV/ICSI com Doação de óvulos. Nesse procedimento, a paciente que deseja engravidar recebe gametas cedidos por uma doadora que também esteja realizando a fertilização in vitro. A doação compartilhada de óvulos deve ser voluntária, sem caráter comercial ou lucrativo, e precisa garantir o anonimato de ambas as partes, de acordo com o Conselho Federal de Medicina (CRM). A lei também regulamenta que a doadora precisa ter menos de 35 anos, ser saudável e não possuir histórico de doença genética ou infecciosa. 

Os casais homoafetivos também têm a técnica de reprodução assistida garantida por lei. Para os casais femininos, a FIV/ICSI com Casais Homoafetivos oferece duas opções. 

Na primeira, as parceiras podem dividir o processo, enquanto uma passa pela estimulação ovariana e tem os óvulos colhidos e fecundados, a outra é quem recebe o embrião e continua a gravidez. Na segunda opção, uma das mulheres terá o óvulo fecundado e ela mesma irá gerar o bebê. Em ambos os casos, é necessário que se utilize o sêmen doado através de um banco de sêmen, nacional ou internacional, com doador anônimo.

Já para os casais masculinos, a FIV/ICSI com Útero de Substituição é a única alternativa. Para o procedimento, é necessário que o sêmen de um dos parceiros fecunde os óvulos de uma doadora anônima. 

Após a fertilização, o embrião será transferido para uma doadora de útero temporária que tenha parentesco consanguíneo até o quarto grau (mãe, irmã, avó, tia ou prima) com um dos parceiros, respeitando o limite de idade de 50 anos. A FIV/ICSI com Útero de Substituição é indicada também para mulheres que não possuem útero ou para aquelas que, por algum motivo, encontram problemas na implantação e desenvolvimento do embrião no útero.

Em todos os casos, é necessário que os pacientes procurem um médico para entender qual procedimento se adequa melhor às suas necessidades e expectativas. A Pró-Criar é especializada em medicina reprodutiva e conta com uma equipe multidisciplinar preparada para te atender. Agende uma consulta conosco!

Equipe Médica Revisora do Texto

Dr. Ricardo Marinho, Dra. Hérica Mendonça, Dra. Leci Amorim, Dr. Fábio Peixoto, Dra. Luciana Calazans e Dr. Leonardo.