Tenho óvulos congelados e quero fazer a FIV: 4 dicas para saber se é a hora de fazer o tratamento depois do congelamento de óvulos

RECEBA NOSSOS PRÓXIMOS
CONTEÚDOS EXCLUSIVOS:

    Compartilhe este post

    Share on facebook
    Share on twitter
    Share on linkedin
    Share on whatsapp

    O sonho de ter filhos faz parte da realidade de muitas mulheres. No entanto, boa parte delas prefere deixar essa realização para o momento certo da vida, com uma boa estabilidade social e profissional. Para isso, o congelamento de óvulos é uma forma de tornar esse desejo possível.

    Cada vez mais utilizado, o congelamento ajuda mulheres na realização de uma FIV (fertilização in vitro) no futuro, evitando que a idade avançada prejudique a fertilidade e atrapalhe os planos de uma gestação. A seguir, saiba mais sobre o congelamento de óvulos e confira também 4 dicas que vão ajudar a saber quando é o momento certo para fazer a FIV após o congelamento!

    O que é o congelamento de óvulos

    O congelamento de óvulos consiste em um procedimento em que os óvulos da mulher são captados e submetidos ao processo de vitrificação. Ou seja, os óvulos são colocados em nitrogênio líquido, substância que reduz a temperatura a 196 graus negativos em poucos minutos, e então armazenados, garantindo a possibilidade de uma gestação no futuro com os gametas conservados.

    4 dicas para saber quando é hora de fazer a FIV após o congelamento de óvulos

    O tempo de congelamento de óvulos não influencia nas taxas de sucesso da fertilização in vitro. Afinal, eles podem ser mantidos congelados por tempo indeterminado, permitindo que a gestação aconteça em diferentes períodos da vida. Contudo, outros fatores influenciam no momento certo para realizar a reprodução assistida. Confira 4 dicas para saber a hora de usar seus óvulos congelados.

    1. Realização profissional

    Segundo pesquisas, a participação das mulheres no mercado de trabalho aumentou pelo 5º ano seguido. Contudo, a desigualdade salarial ainda é uma realidade, por isso, as mulheres precisam se dedicar ainda mais para ocupar espaço profissional, se consolidar financeiramente e conseguir realizar o sonho de constituir uma família.

    O congelamento de óvulos contribui para isso ser possível. Assim, alcançar estabilidade financeira e realização profissional são alguns dos sinais que é o momento certo de pensar na vida pessoal, abrindo espaço para a realização da reprodução assistida.

    2. Produção independente

    A partir da estabilidade financeira, as mulheres buscam cada vez mais procedimentos de reprodução assistida para constituir sua família por produção independente, sem a necessidade de um parceiro ou parceira.

    Por isso, ao procurar por um doador ideal, escolher pelo congelamento de óvulos é uma excelente opção para preservar a fertilidade.

    3. Idade da mulher

    Diferente do homem, que produz espermatozoides a todo momento, a mulher já nasce com todos os óvulos, que serão liberados ao longo de toda a vida. Na primeira menstruação, chamada menarca, estima-se que apenas menos da metade destes óvulos ainda existam.

    Além disso, a cada ciclo menstrual apenas um óvulo é liberado. Contudo, cerca de 1.000 outros se degeneram pelo processo conhecido como morte celular programada. Esse número pode ser ainda maior quando a mulher tem maus hábitos de vida, como tabagismo, abuso de drogas, alimentação indevida, e mais.

    Dessa maneira, com o passar do tempo, a reserva ovariana diminui. Isso pode causar dificuldades para uma gravidez em mulheres acima de 35 anos. Por isso, muitas mulheres escolhem realizar o congelamento de óvulos, ou mesmo de embriões, antes dos 30 anos.

    Isso porque, nessa fase, a capacidade ovariana é ideal para a maioria das mulheres. No entanto, ao utilizar os óvulos congelados para realizar uma FIV, o número de embriões transferidos é delimitado conforme a idade da mulher, segundo o CFM (Conselho Federal de Medicina).

    Mulheres de até 37 anos podem implantar até 2 embriões e, acima dessa idade, 3 embriões, aumentando as chances de gestação. Além disso, o órgão também aconselha que as mulheres que optaram pelo congelamento de óvulos realizem a reprodução assistida até os 50 anos. Após essa idade, os riscos de complicações são mais altos.

    4. Saúde da mulher e do bebê

    O mais indicado é que os óvulos congelados sejam utilizados até a idade de 50 anos da mulher. Esse tempo não é referente ao congelamento, mas sim a idade da mulher. Afinal, o processo pode ser mantido por tempo indeterminado.

    Entretanto, como vimos acima, o CFM aconselha que os óvulos sejam utilizados para uma gestação até os 50 anos. Após essa idade, o risco para complicações durante a gravidez aumentam, como doenças como diabetes gestacional, pré-eclâmpsia, aborto espontâneo, malformações e parto prematuro.

    Você pôde conferir algumas dicas que ajudam a identificar o momento certo de realizar uma FIV após o congelamento de óvulos. Por isso, analise bem antes de tomar a decisão e, quando for a hora certa, busque a melhor clínica de fertilidade para realizar o congelamento e também sua reprodução assistida!

    Você tem alguma dúvida sobre congelamento de óvulos? Conta pra a gente nos comentários, queremos te auxiliar a entender mais sobre esse procedimento!

    Baixe agora nosso e-book com o tema Trintou Congelou

    Para ler

    Em seguida

    Português do BrasilEnglishEspañol