Quem tem endometriose pode engravidar?

A endometriose é uma doença inflamatória benigna que afeta mulheres no período reprodutivo de suas vidas. Com alterações nas células do endométrio, camada que recobre a parte interior do útero, a endometriose é caracterizada pelo aparecimento deste tecido em outros locais fora da cavidade uterina e em órgãos como ovários e intestino.

Por atingir principalmente mulheres em idade reprodutiva, a endometriose é uma grande preocupação relacionada à constituição e uma família. Isso porque, quando não tratada, a doença pode causar infertilidade na mulher. Para entender se uma pessoa com endometriose pode engravidar, continue a leitura conosco!

O que caracteriza a endometriose e quais são seus diferentes tipos?

A endometriose é caracterizada pelo crescimento do tecido endometrial fora do útero, geralmente em regiões próximas como ovário, tubas uterinas e peritônio (camada que reveste os órgãos do abdômen). A endometriose é dividida em 2 tipos: superficial e profunda.

Endometriose superficial

A endometriose superficial é classificada dessa forma por apresentar lesões pequenas, com diferentes cores e aspectos e possui, em geral, 1 mm. Os focos da doença são principalmente o peritônio, localizando-se em sua maioria na região pélvica, próxima ao útero e raramente atingindo intestino e bexiga.

A endometriose superficial é uma forma menos agressiva da doença por não atingir os órgãos pélvicos. Contudo, ainda é necessário o acompanhamento constante da doença, evitando sua evolução para a forma agressiva, ou seja, a endometriose profunda.

Endometriose profunda

A endometriose profunda é caracterizada por ser uma forma agressiva da doença, em que as lesões apresentadas têm pelo menos 5 mm de profundidade. De forma geral, a endometriose profunda atinge a mulher em regiões como:

  • peritônio;
  • vagina;
  • reto;
  • intestino;
  • bexiga;
  • ureteres.

Quais são os tratamentos para a endometriose?

O tratamento para a endometriose deve variar de acordo com o quadro clínico da mulher, seu nível de dor e interesse ou não em desenvolver uma futura gestação. Por ser um distúrbio do sistema reprodutor, a endometriose aparece em qualquer momento da idade reprodutiva, e pode desaparecer naturalmente após a menopausa.

O tratamento pode ser realizado por meio de medicamentos que regulam a produção e captação de hormônios, principalmente o estrogênio e a progesterona. 

Dessa forma, pode-se limitar o aumento das células do endométrio, impedindo a progressão da doença e diminuindo seus sintomas de maneira significativa. Os tratamentos mais comuns utilizados para a endometriose, são:

  • pílulas anticoncepcionais;
  • DIU hormonal;
  • medicamentos à base de progesterona;
  • inibidores de enzima de aromatase;
  • tratamento cirúrgico.

Tratamento cirúrgico para endometriose

O tratamento cirúrgico para endometriose tem como objetivo retirar as lesões causadas pela doença. Este procedimento, diferente dos tratamentos clínicos, pode curar os danos causados pela doença no organismo.

A chance do reaparecimento da doença após certo tempo pode acontecer.

Mulheres que possuem endometriose podem engravidar naturalmente?

Sim, é possível que mulheres que sofrem com a endometriose engravidem naturalmente. Contudo, a doença é muito frequente nas mulheres inférteis. Aproximadamente, 50% das mulheres inférteis têm endometriose.

A realização de um diagnóstico precoce associado ao tratamento adequado pode impedir que isso aconteça. Entretanto, caso seja necessário lidar com a infertilidade, a mulher pode buscar alternativas como a reprodução assistida

Quais são os tratamentos de fertilidade para mulheres com endometriose?

Para que mulheres com infertilidade devido à endometriose possam desenvolver uma gestação, a abordagem de tratamento deve ser individualizada, considerando a idade, tratamentos prévios e a existência de cofatores. Os tratamentos de fertilidade mais comuns indicado para mulheres com endometriose são:

  • cirurgia para remoção das lesões;
  • indução da ovulação e orientação para coito;
  • indução da ovulação e inseminação intrauterina;
  • fertilização in vitro.

Para os casos em que a endometriose é superficial, contudo a mulher desenvolve a infertilidade, a inseminação intrauterina é o procedimento mais indicado. Para situações em que a doença é grave, como na endometriose profunda, o tratamento de reprodução assistida mais indicado é a fertilização in vitro.

Como um procedimento simples, a inseminação intrauterina apresenta até 25% de chances de sucesso, enquanto a fertilização in vitro mostra taxas de até 60% de sucesso. Em casos em que a inseminação uterina não apresenta eficácia diante da infertilidade causada pela endometriose, o tratamento pode ser substituído pela fertilização in vitro, caso o especialista aprove a conduta.

No artigo de hoje você pôde conhecer os diferentes tipos de endometriose e entender que, ainda com a doença, é possível desenvolver uma gestação natural. Contudo, pelos altos índices de infertilidade apresentados, é importante realizar exames para certificar-se sobre essa possibilidade, em caso da doença.

Este conteúdo foi útil? Então, confira também 5 informações importantes sobre tratamentos para engravidar!

Equipe Médica Revisora do Texto

Dr. Ricardo Marinho, Dra. Hérica Mendonça, Dra. Leci Amorim, Dr. Fábio Peixoto, Dra. Luciana Calazans e Dr. Leonardo.