O que fazer após um diagnóstico de infertilidade?

A infertilidade é uma questão cada vez mais comum entre casais. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), cerca de 20% da população mundial já recebeu um diagnóstico de infertilidade.

Entre os pacientes que optam por realizar tratamentos, até 65% manifestam sintomas de ansiedade, sentimentos de culpa, baixa auto-estima, depressão, falta de esperança, entre outras emoções negativas.

Porém, é sempre bom lembrar que um diagnóstico de infertilidade não é o fim da linha para casais que querem ter um bebê.

Se o problema for uma doença física, é grande a chance de que exista um tratamento que possa reverter a situação. O primeiro passo é sempre descobrir o fator causador e, em seguida,buscar a sua solução.

Já no campo psicológico, tanto o diagnóstico quanto o tratamento de infertilidade podem ter impactos nas vidas pessoas e sociais dos casais. À medida que os ciclos vão passando e tentativas são frustradas, é comum que o desgaste emocional aumente cada vez mais.

Tratamentos de reprodução assistida podem ser longos e difíceis e, por isso, a ajuda profissional de um psicológo pode ser bastante útil para aliviar a pressão. É uma forma de ajustar as emoções, diminuir as chances de abandono dos tratamentos, além de aumentar as chances de nascimentos saudáveis.

Dicas para cuidar do emocional após o diagnóstico de infertilidade

 

  • Aceite a situação:a sonhada gestação pode demorar mais do que o esperado, e emoções surgirão nesse processo. Aceite-as e não se culpe pela situação.
  • Não abandone outros projetos: se dedicar a planos que te fazem felizes é necessário para recarregar as energias. Dar atenção a esses projetos ajudará a repor as energias antes de iniciar um novo tratamento.
  • Tenha uma atitude positiva: 85% dos diagnósticos de infertilidade têm solução. Por isso, fuja dos pensamentos negativos e lembre-se que chances acumuladas de gravidez aumentam com as tentativas. Não deixe o sofrimento tomar conta, pois o medo e a insegurança provocam efeitos que paralisam as atitudes.

 

 

  • Não enfrente a situação sozinho(a): conte com o apoio do seu parceiro ou parceira, esse cuidado é essencial para que vocês não abandonem o tratamento. Fale, escute, seja tolerante e compreensivo. Evite criar sentimentos de culpa e divida a carga.
  • Se informe: Tanto os especialistas responsáveis por te atender na clínica, quanto um psicólogo estão aptos a te fornecer informações e orientações sobre as melhores formas de lidar com a situação. Por isso, não exite em procurá-los. Conte ainda com o apoio de família e amigos.
  • Mantenha o foco: se o objetivo do casal é ter um bebê, não desistam do sonho. Cuidem do psicológico, avaliem o que pode ser feito para resolver os problemas e mantenham-se firmes.

 

O diagnóstico de infertilidade não é o fim de um sonho, e é um problema cada vez mais comum. Para se ter noção, segundo o ultimo censo, existem no Brasil cerca de 32 milhões de casais.

Destes, quase 7 milhões tem ou terão problemas de infertilidade. Mas os tratamentos existem e são cada vez mais promissores. Para conhecê-los, leia o nosso artigo sobre os 5 principais tratamentos para engravidar.

Equipe Médica Revisora do Texto

Dr. Ricardo Marinho, Dra. Hérica Mendonça, Dra. Leci Amorim, Dr. Fábio Peixoto, Dra. Luciana Calazans e Dr. Leonardo.