Início > Criopreservação > Criopreservação de embriões

Canal Pró-Criar


Busca por tópico

Carregando...

Criopreservação de embriões

Disponível em

Belo Horizonte

+55 (31) 3292.5299

Juiz de Fora

+55 (32) 3216.5092

Entre em Contato

Fale Conosco
Agende Consulta
ATENÇÃO: Somente 20-30% dos ciclos de Fertilização in Vitro terminam com embriões excedentes e de qualidade para CONGELAR! Assim, ter embriões excedentes de boa qualidade para congelar é uma EXCEÇÃO e não a regra !
 
O congelamento ou a criopreservação de embriões é um procedimento realizado quando existem embriões excedentes e de boa qualidade após uma tentativa de Fertilização in Vitro (FIV) ou Fertilização in Vitro com Micromanipulação de Gametas (ICSI).

Uma outra indicação para congelamento de embriões cada vez mais usada na Pró-Criar e nos grandes centros de reprodução assistida são os casos de risco para o desenvolvimento da Síndrome de Hiperestímulo Ovariano. Nestes casos, para a segurança da paciente, evitamos algumas medicações que podem causar a Síndrome e utilizamos outras para fazer o amadurecimento final dos óvulos. Todos os embriões produzidos então são criopreservados e a transferência é realizada em outro ciclo sem a necessidade de indução da ovulação e coleta de óvulos.

Os embriões podem ser congelados no 2º/3º dia de cultivo quando atingem 4 a 8 células ou então no 5º/6º dia de cultivo, conhecido como estágio de BLASTOCISTO.
 
Quando se trata de embriões excedentes, a estratégia da Pró-Criar é sempre tentar congelar Blastocistos, por serem embriões mais aptos. Assim, evitamos o congelamento de um grande número de embriões desnecessariamente.
 
Mas nem sempre isto é possível. Por que ? Porque para se obter blastocistos precisamos estender o tempo de cultivo de 3 dias para 5/6 dias e ao final deste período existe a possibilidade de nenhum embrião atingir o estágio desejado. Quem tem mais chances de se obter blastocistos são pacientes mais jovens (<35 anos) e que têm mais de 4-6 embriões excelentes no dia 3 de cultivo.
 
                                      
                Embrião de 4 Células                                               Embrião de 8 Células

                  
                        Blastocisto                                                   Blastocisto em Eclosão
 
As chances de engravidar após a transferência de blastocistos criopreservados são semelhantes às que ocorrem quando a transferência é feita com embriões a fresco. Na verdade, vários estudos demonstram que as chances de se engravidar com embriões congelados é até maior que com embriões a fresco. Esteja certo que embrião congelado não é pior que embrião a fresco, como muito se diz. As taxas de sucesso irão depender da idade da paciente, podendo atingir 50-55% por ciclo com mulheres a partir de 35 anos.

Outra informação importante é que existe uma taxa de não-sobrevivência do(s) embrião(ões) ao ser descongelado. Esta taxa varia de 5 a 10%, isto é, de cada 100 embriões descongelados, 5 a 10 deles não sobrevivem ao processo e se tornam inviáveis para transferir.
Converse com seu médico sobre este assunto e lembre-se que medicina não é uma ciência exata.

Como funciona?
 
Diferentemente da Fertilização in Vitro (na qual precisamos passar pelas etapas da indução da ovulação, retirada dos óvulos e fertilização e cultura de embriões), no descongelamento dos embriões só precisamos preparar o útero (endométrio) para receber os embriões.
 
O preparo do útero pode ser feito de várias maneiras. Na Pró-Criar o nosso protocolo preferencial é feito com o uso de medicação oral (estrogênio natural micronizado) durante 28 dias; por volta do 14º (pode ser do 10º ao 20º) realizamos um ultrassom transvaginal para medir a espessura do endométrio e quando este atinge pelo menos 6-7 mm, criamos a janela de implantação com o uso da progesterona vaginal micronizada e realizamos a transferência dos embriões.
 
O descongelamento pode ser feito no mesmo dia ou no dia anterior à transferência.
 
O que fazer com os embriões criopreservados ?
 
- Tentar nova gravidez e para tal a paciente não pode ter mais de 50 anos, limite máximo no Brasil definido pelo CFM, para utilização das técnicas de reprodução assistida.
- Doação para pesquisa de Células Tronco-Embrionárias, desde que tenham mais de 3 anos de criopreservação (art. 5º, da Lei Federal de Biossegurança nº 11.105/2005).
- Descarte dos embriões criopreservados com mais de 5 (cinco) anos (Resolução CFM Nº 2.013/13, artigo V).
 
Obs: Existe também a opção de doação dos embriões para outra pessoa ou casal com objetivo de reprodução, mas a Pró-Criar NÃO trabalha com esta opção.
 
Apoio emocional
 
O procedimento de congelamento embrionário costuma gerar sentimentos ambivalentes e suscitar questões éticas e religiosas.
 
Por um lado traz conforto para os pacientes que se deparam com resultado negativo, pois poderão ter a chance de tentar novamente; por outro, caso engravidem (principalmente gravidez gemelar ou múltipla), gera preocupação em relação ao destino dos embriões congelados.

A Pró-Criar conta com o serviço de apoio emocional, no qual um psicólogo auxilia a desvelar e esclarecer sentimentos, conflitos e fantasias presentes ao longo da busca pela realização do projeto parental, que é permeado por angustias e elaborações dos diversos lutos que muitas vezes se impõem nesta trajetória. Auxilia também em decisões de difícil manuseio do ponto de vista ético, moral e religioso. Assim, o espaço psicológico oferece ajuda aos pacientes para uma reflexão sobre as questões inerentes ao procedimento e em tomadas de decisão coerentes com os princípios pessoais de cada paciente.