Inseminação Artificial: Conheça o tratamento!

A Inseminação Artificial(IA) é uma técnica de Reprodução assistida na qual os espermatozoidessão introduzidos na cavidade uterina através de um cateter. Dessa forma, a fertilização acontece dentro do corpo da mulher, assim como aconteceria naturalmente após uma relação sexual.

Mesmo sendo muito confundidos, a técnica de inseminação artificial é diferente da fertilização in vitro. Nesta, a união do óvulo ao espermatozoide é feita em laboratório, com a posterior colocaçãodo embriãono interior do útero da mulher.

A inseminação é chamada homóloga quando é utilizado o sêmen do parceiro e heteróloga quando utiliza um sêmen de doador anônimo (banco de sêmen)

Quando a Inseminação Artificial Homóloga é indicada

A inseminação é considerada uma técnica de baixa complexidade, indicada para alguns casos de infertilidade, sendo os principais:

  • Alteração leve ou moderada no espermograma. Alguns homens possuem uma concentração um pouco inferior de espermatozoides móveis. Nesses casos, a gravidez natural pode ser mais difícil, mas com a inseminação essa chance aumenta, pois há uma seleção dos espermatozóides móveis e sua colocação dentro da cavidade uterina, facilitando chegada ao local de fecundação
  • Infertilidade não muito prolongada, sem causa aparente (todos os exames normais) em mulheres jovens
  • Dificuldade do casal em realizar relações sexuais com penetração e ejaculação

Inseminação Artificial Intracervical e Intrauterina

Existem duas diferentes estratégias de inseminação artificial: a intracervical e a intrauterina:

Inseminação Artificial Intracervical

A inseminação artificial intracervical simula o que ocorre na relação sexual normal, ou seja, os espermatozoides são depositados diretamente no colo uterino.

Ela é indicada apenas quando não é possível haver a penetração vaginal pelo parceiro, como em casos de impotência sexual ou algum distúrbio, seja feminino ou masculino, que impeça essa etapa da relação sexual.

Inseminação Artificial Intrauterina

Na inseminação intrauterina os espermatozoides são injetados dentro do útero, aumentando significativamente as chances de seu encontro com o óvulo. Além de não exigir a presença do muco vaginal em quantidade e qualidade adequadas para a gravidez, como é necessário com a estratégia intracervical ou mesmo na relação sexual normal.

O que é preciso para realizar o procedimento

Para que a inseminação artificial seja realizada é preciso que a mulher tenha pelo menos uma trompa (tuba) uterina normal. Como a fertilização ocorre seu interior, é preciso que ela permita o encontro do óvulo com os espermatozoides.

No caso de mulheres que fizeram a laqueadura tubária e querem engravidar, o tratamento indicado é a fertilização in vitro. Ou, em casos selcionados, pode ser possível fazer cirurgia de reversão da laqueadura.

O homem deve possuir um sêmen com pelo menos 5 milhões de espermatozoides móveis progressivos por ml, avaliados previamente através do espermograma.

Homens que fizeram a vasectomia não podem realizar a inseminação artificial; nesses casos a gestação só é possível através de uma cirurgia de reversão da vasectomia ou do tratamento de fertilização in vitro.

Passo a passo da Inseminação Artificial

1. Estimulação ovariana (dura de 10 a 12 dias)

A inseminação pode ser feita durante o ciclo natural da mulher; no entanto, a sua eficácia aumenta com o uso de hormônios que induzem o desenvolvimento folicular múltiplo. Também é feito um controle da estimulação para evitar a produção de muitos óvulos e evitar o risco de gravidez múltipla.

Durante o período de estimulação, são realizadas entre 3 e 4 ultrassonografias para comprovar o crescimento e a evolução dos folículos.

2. Maturação final dos óvulos

Quando se comprova, por meio de ultrassom, que os folículos alcançaram o tamanho adequado, o procedimento de inseminação é programado para entre 24 e 36 horas após a administração de uma injeção do hormônio hCG que induz a maturação do óvulo.

3. Preparação do sêmen (demora cerca de 2 horas)

Duas horas antes da inseminação é realizada a coleta do sêmen na própria clínica por meio de masturbação. Após coletados os espermatozoides são preparados em laboratório, onde são selecionados aqueles com melhor potencial de fecundação.

4. Inseminação

Os espermatozoides selecionados são introduzidos no interior da cavidade uterina com o auxílio de um cateter, sem anestesia, pois é indolor e rápido.

Após esse procedimento o tratamento está concluído, e então inicia-se a espera para a confirmação da gravidez.

O teste de gravidez é feito 14 dias depois.

 

Outras informações sobre o procedimento:

  • As taxas de sucesso da inseminação artificial variam muito, dependendo da idade da mulher e das especificações de cada caso. De modo geral, as chances de sucesso do tratamento ficam entre 10 e 25%.
  • As chances de gestação múltipla dependem do número de óvulos liberados. Durante o tratamento é feito o controle através das doses de hormônios utilizados.
  • O procedimento pode ser cancelado caso haja mais que 4 folículos com mais de 18mm.
  • Os custos da inseminação artificial são bem mais acessíveis quando comparados com outros tratamentos como a fertilização in vitro, no entanto, ele não é o mais adequado para todo mundo. Por isso, é fundamental que cada caso seja avaliado por um especialista em reprodução humana.

E então? Conseguiu entender melhor o que é a inseminação artificial? Caso ainda tenha alguma dúvida sobre o tratamento é só deixar aqui nos comentários!