Gravidez após laqueadura: quais as possibilidades?

A laqueadura tubária ou ligadura de trompas é um método de contracepção definitiva para a mulher. Geralmente feita por pacientes que já possuem filhos e com certeza de que não querem mais um no futuro, o procedimento tem sido procurado cada vez com mais frequência por mulheres em idade fértil – nos Estados Unidos por exemplo, estima-se que um milhão de laqueaduras sejam feitas todos os anos.

Mesmo com tantas mulheres buscando a laqueadura como método de esterilização, também tem crescido o número de mulheres laqueadas que buscam reverter o procedimento para recuperar a fertilidade. Na maioria das vezes por um novo relacionamento. A boa notícia é que é possível desfazer e conseguir engravidar mesmo depois da laqueadura.

Veja como funciona o procedimento e as possibilidades de gravidez após laqueadura:

 

O que é a laqueadura?

A laqueadura consiste em um procedimento cirúrgico onde as trompas da mulher são amarradas ou cortadas. As trompas são canais que ligam os ovários ao útero – assim, a laqueadura impede que os óvulos sejam levados ao útero e que se encontrem com os espermatozoides em caso de relações sexuais. A taxa de sucesso gira em torno de 99%.

Vale lembrar que a cirurgia não impede que a ovulação aconteça e nem interfere no ciclo hormonal feminino. Por isso, a mulher continua menstruando normalmente depois do procedimento.

 

É possível engravidar depois de fazer a laqueadura?

Apesar de pequenas, as chances de uma gravidez acontecer mesmo após a ligadura das trompas existem.

A taxa de reversão espontânea da laqueadura é de 0,5% a 1% – aqui no Brasil, estima-se que de uma a cada duzentas mulheres laqueadas acabem engravidando.

Também é possível realizar uma cirurgia de reversão da laqueadura em mulheres que se arrependeram do procedimento. No entanto, as chances de restabelecimento total da fertilidade são menores do que nos casos de reversão da vasectomia, que é feita no homem.

 

Reversão da laqueadura

Na cirurgia de reversão da laqueadura, as tubas uterinas são religadas através de uma sutura. O procedimento é realizado por laparoscopia ou com o auxílio de um microscópio, e também retira a região onde ficou a cicatriz da laqueadura.

Por ser uma cirurgia complexa – com duração de três a quatro horas – a mulher submetida à reversão precisa passar um período de internação hospitalar.

Chances de sucesso

Apesar do procedimento poder ser realizado, é importante ressaltar que as chances de sucesso são limitadas e dependem do tempo e da técnica utilizada para a ligadura, a idade da paciente e de outros fatores de infertilidade. Quando a reversão é realizada com sucesso, grande parte das mulheres consegue engravidar em um período de 6 a 12 meses após a cirurgia.

O sucesso de religamento das trompas depende também da condição das tubas no momento da cirurgia. Se elas estiverem dilatadas ou com cicatrizes, por exemplo, o sucesso é reduzido. Por ser um procedimento invasivo e com altas chances de não devolver a fertilidade para a mulher, uma opção viável e segura é a realização da Fertilização In Vitro – sim, é possível passar para FIV mesmo com as trompas laqueadas. Veja como funciona:

 

Fertilização In Vitro e Laqueadura

Caso a mulher não possa ser submetida à reversão da laqueadura ou não tenha sucesso no procedimento, a Fertilização In Vitro é uma alternativa bastante eficaz, já que a laqueadura tubária não interfere na produção dos óvulos ou no sucesso do procedimento da FIV.

A FIV é possível mesmo com a laqueadura porque o óvulo é fecundado pelo espermatozoide fora do corpo da mulher – ao contrário do que acontece na inseminação artificial, em que a fecundação ocorre diretamente na tuba. Dessa maneira, o sucesso da Fertilização vai depender apenas de fatores externos, ligados à idade da mulher, à qualidade dos óvulos e espermatozoides coletados e do endométrio da paciente.

Assim, a decisão entre a reversão da laqueadura ou a Fertilização In Vitro deve ser feita com o auxílio de um médico, que irá avaliar fatores como a idade da mulher, o local da tuba onde foi realizada a incisão da laqueadura e de outros fatores que possam dificultar a gravidez. No entanto, a FIV é uma opção bastante atrativa, já que o procedimento é bem menos invasivo e as chances de conseguir engravidar por ela são maiores do que com a reversão da laqueadura.

Você ainda tem alguma dúvida sobre as possibilidades de gravidez após a laqueadura? Deixe um comentário abaixo!